logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 13 estados.

Teste psicológico previsto no edital é exigível para a participação em Curso de Formação Profissional da PF

Home / Informativos / Leis e Notícias /

03 de agosto, 2014 por Poliana Nunes

A 6.ª Turma do TRF da 1.ª Região (TRF1) negou a um concorrente do Processo Seletivo da Polícia Federal matrícula no Curso de Formação Profissional, sem prévia avaliação psicológica, sob entendimento de que a situação contraria o caráter isonômico dos processos seletivos.

 

O requerente havia procurado a Justiça Federal após ter sido considerado “não recomendado” mediante avaliação psicológica realizada para o concurso público relativo ao Edital n.º 1/2012–DGO/DPF, com o objetivo de manter-se no concurso. No entanto, após ter seu pedido de antecipação de tutela indeferido pelo Juízo de primeiro grau, o candidato em questão decidiu recorrer ao TRF1.

 

O relator, desembargador federal Daniel Paes Ribeiro, frisou que na 6.ª Turma já há jurisprudência firmada no sentido de que viola a Constituição Federal “a realização de psicotécnico cujo escopo não é aferir a existência de traço de personalidade que impeça o regular exercício do cargo, mas a adequação do candidato a ‘perfil profissiográfico’ sigiloso, não previsto em lei e nem especificado no edital”.

 

Por fim, o relator afirmou: “… a pretendida matrícula no Curso de Formação Profissional, sem submissão a uma nova avaliação psicológica, como pretende o agravante, constitui violação do princípio isonômico norteador dos processos seletivos públicos”.

 

Desse modo, a Turma, por unanimidade, seguindo o voto do relator, negou provimento ao agravo.

 

Processo reacionado: 0048521-88.2012.4.01.0000/DF

 

Fonte: TRF 1ª Região

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados