logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 15 estados.

O Globo: servidor recebeu reajustes acima do avanço do PIB

Home / Informativos / Leis e Notícias /

22 de agosto, 2012 por Poliana Nunes

Em greve que já dura mais de três meses, os servidores públicos federais tiveram reajustes salariais não apenas acima da inflação, nos últimos nove anos, mas além do crescimento da economia. Levantamento feito pelo economista Raul Velloso, a pedido do GLOBO, mostra que, enquanto o valor médio pago ao pessoal ativo da União teve ganho real de 33,2%, passando de R$ 5,3 mil em 2002 para R$ 7,2 mil em 2011, o PIB per capita (a geração média de riquezas de cada brasileiro) cresceu 26,7% no mesmo período.Para o especialista em finanças públicas, ao priorizar os gastos com o funcionalismo, o governo deixa de fazer investimentos indispensáveis para que a atividade econômica cresça sem pressionar os preços de bens e serviços. A seu ver, do ponto de vista das contas públicas, este não é o momento para conceder aumentos aos servidores.- O mais grave é que esse dinheiro deixa de ser aplicado, por exemplo, em infraestrutura, que está em situação de terra arrasada. Hoje, menos de 3% do Orçamento são destinados a esses investimentos. E o governo tem dificuldade de transferir essas obrigações, muitas vezes pouco rentáveis, para a iniciativa privada – disse Velloso, que fez os cálculos das remunerações médias já corrigidas pela inflação.Dados do Ministério do Planejamento mostram que, enquanto na gestão FH, a despesa com pessoal da União aumentou 109% – de R$ 35,86 bilhões para R$ 75,03 bilhões – no governo seguinte o salto foi de 144,2%: de R$ 75,03 bilhões para R$ 183,27 bilhões. Proporcionalmente, a elevação mais expressiva foi registrada na folha de pagamento dos servidores do Judiciário, de 189,7%. Para o Executivo, o índice foi de 136% e, para o Legislativo, de 128%.Economista defende limite de gastosO inchaço é reflexo dos aumentos salariais expressivos concedidos nos oito anos do governo Lula. Na gestão do ex-presidente, pelo menos 64 categorias foram beneficiadas com reajustes salariais que ultrapassaram 250%. Para o cargo de analista do Banco Central, de 2002 para cá, a remuneração inicial saltou de R$ 3.636,59 para R$ 12.960,77, um aumento de 256,3%. Em termos reais, o reajuste foi de 109,3%, considerando uma inflação acumulada de 70,3% no período. Para os técnicos, o aumento real foi de 147,6%.Na avaliação do economista Felipe Salto, da Tendências Consultoria, com tantos pedidos na mesa, o controle efetivo da despesa de pessoal só será possível se for incluído na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) um limite para esses gastos.Fonte: O Globo – 22/08/2012 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados