logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 15 estados.

SENADO: GARIBALDI PEDE PACIÊNCIA A APOSENTADOS E PENSIONISTAS

Home / Informativos / Leis e Notícias /

09 de abril, 2008 por Poliana Nunes

O senador Garibaldi Alves afirmou na sessão deliberativa desta terça-feira (8), que ainda não é possível votar os projetos de interesse de aposentados e pensionistas, conforme acordo estabelecido na semana passada entre representantes da categoria e líderes da oposição no gabinete da Presidência. Diante das cobranças dos senadores Mário Couto (PSDB-PA) e Paulo Paim (PT-RS), patrocinadores do entendimento segundo o qual, destravada a pauta, nenhuma outra medida provisória seria lida enquanto não fossem votados o PLC 42/07 e requerimentos referentes ao PLS 58/03 e ao PLS 296/03, Garibaldi pediu paciência.

– Me dêem um crédito de confiança, já que ainda não foi possível um acordo entre governo e oposição – apelou o presidente.

O senador Mário Couto (PSDB-PA) chegou a afirmar que daria início a uma "vigília" nesta quarta-feira (9) para pressionar pela votação dessas matérias. Ele disse que pretendia deixar de tomar banho e, se dentro de uma semana o protesto não surtisse efeito, deixar de comer. Diante do apelo de Garibaldi, o senador paraense optou por adiar o protesto.

Paulo Paim, por sua vez, relembrou os termos da reunião no gabinete de Garibaldi, destacando que o compromisso firmado com os representantes dos aposentados independia de um entendimento entre governo e oposição.
– Esperamos que o acordo seja cumprido na íntegra – cobrou Paulo Paim.

Na reunião de líderes realizada na tarde desta terça-feira na residência oficial da Presidência do Senado, não houve consenso em relação à pauta. No entanto, segundo o representante da oposição, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), os líderes mantinham a disposição de votar os projetos de interesse dos aposentados. Da reunião da semana passada no gabinete da Presidência, participaram o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), e do DEM, José Agripino (RN).

O governo, de acordo com o líder Romero Jucá (PMDB-RR), que não participou do acordo da última semana, admite discutir todos os itens do entendimento com os aposentados assim que for liberada a pauta. Mas Jucá lembrou, após a reunião de líderes, que há cerca de 40 projetos prontos para votação e duas novas medidas provisórias aguardando leitura.

Garibaldi, porém, manteve o compromisso.

– Se persistir a falta de acordo, invertemos a pauta e votamos esses projetos – disse ele.

O acordo firmado na última semana passa por três itens. O PLC 42/07, que estabelece diretrizes para a política de valorização do salário mínimo de 2008 a 2023, está pronto para votação em Plenário. O PLS 58/03, que atualiza os valores de aposentadorias e pensões pagas pela Previdência Social e pela União, está na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde se encontra com prazo de deliberação vencido. O senador Paulo Paim, então, apresentou requerimento para que a matéria seja dispensada do parecer da CAE e enviada diretamente à Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde será apreciado em caráter terminativo. Já o PLS 296/03 acaba com o fator previdenciário, um redutor de 40% sobre as aposentadorias. Paim apresentou requerimento de urgência para sua votação. Os dois requerimentos também estão prontos para votação em Plenário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados