logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 12 estados.

O Globo: ANJ cobra investigação sobre morte de jornalista que denunciava corrupção

Home / Informativos / Leis e Notícias /

21 de setembro, 2011 por Poliana Nunes

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou ontem uma nota cobrando a apuração do assassinato do radialista Vanderlei Canuto Leandro, ocorrido em 1º de setembro, no município de Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus), no Amazonas. Leandro foi morto com oito tiros disparados por dois homens não identificados. A polícia do Amazonas investiga o caso, mas não quis dar detalhes do assunto.Para a ANJ, o crime pode ter sido motivado pelo exercício da atividade jornalística. Segundo a associação, Leandro vinha fazendo denúncias de corrupção na administração do prefeito do município de Tabatinga, Saul Nunes Bemerguy (PR). De acordo com amigos do radialista, ele chegou a ir ao Ministério Público do Amazonas, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal com denúncias contra o prefeito.Na nota, a ANJ "expressa seu repúdio à violência, à violação da liberdade de expressão e do direito ao livre exercício da profissão no Brasil e insiste junto às autoridades estaduais para que apurem o ocorrido com a máxima urgência". O texto é assinado por Francisco Mesquita Neto, vice-presidente da ANJ e responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão.Na Delegacia Regional de Tabatinga, investigadores e delegado não quiseram comentar o assunto e alegaram que as apurações correm sob sigilo. Um investigador, que não quis ter o nome identificado, afirmou ainda que a medida foi adotada principalmente para manter a segurança das pessoas que apuram o caso:- Tanto o delegado como o investigador podem ser o próximo alvo – declarou.A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Segurança Pública informou que a delegacia instaurou inquérito policial para investigar o caso, e que a Delegacia-Geral de Polícia Civil do Amazonas analisa o envio de reforços ao município para auxiliar na investigação.Fonte: O Globo – 21/09/2011 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados