logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 15 estados.

GAZETA MERCANTIL: SERVIDORES DA CGU FAZEM PARALISAÇÃO DE 24 HORAS

Home / Informativos / Leis e Notícias /

07 de maio, 2008 por Poliana Nunes

Brasília, 7 de Maio de 2008 – Analistas e técnicos de finanças e controle da Controladoria-Geral da União (CGU) de todo o País anunciaram, ontem, uma paralisação de advertência por 24 horas. Os servidores acreditam que, com a suspensão do serviço, o governo ofereça agilidade nas propostas de acordo na assembléia, que acontecerá amanhã.
A campanha salarial dos controladores busca receber a mesma remuneração dos servidores da Receita Federal, porque, segundo o presidente da União Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon), Fernando Antunes, as atividades desenvolvidas pelos órgãos são semelhantes e têm a mesma impor-tância. "Controlar é tão importante quanto arrecadar. Os servidores da Receita Federal prestam serviços iguais aos nossos e recebem mais", alegou Antunes.

Hoje, está prevista uma reunião de representantes da Unacon com técnicos do Ministério do Planejamento, às 17 horas. A entidade está convocando servidores da CGU para uma mobilização, a partir das 14 horas, na frente do ministério, para uma vigília à espera da decisão do governo.

O presidente da Unacon disse que a diferença salarial não afetará os cofres públicos. O governo, porém, já informou que a verba destinada aos aumentos para várias carreiras, de R$ 3,4 bilhões, já está comprometida, devido o aumento salarial dos policiais civis e militares.

Negociação

Segundo Antunes, a negociação com o governo já acontece há muito tempo e, caso não se chegue a um acordo, é provável que, na próxima semana, a greve dos servidores da CGU seja iniciada.

Se a greve ocorrer, as viagens para os municípios, que estão sendo fiscalizados por descentralização dos programas do governo federal, poderão ser interrompidas, segundo advertiu Fernando Antunes.

Além da ameaça da CGU, auditores da Receita Federal já estão em greve há quase dois meses. Eles reivindicam plano de carreira e vencimentos semelhantes aos dos integrantes da Polícia Federal e da AGU; vencimento inicial de R$ 13,4 mil (hoje recebem de R$ 10 mil a R$ 13 mil); e teto de R$ 19,7 mil mensais. A estimativa é que a greve dos auditores da Receita causa prejuízo de R$ 6 bilhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados