logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 13 estados.

Estudantes do Bolsa Família têm aprovação maior

Home / Informativos / Leis e Notícias /

17 de maio, 2013 por Poliana Nunes

 

Estudantes beneficiados pe­lo Bolsa Família, que estão en­tre os mais pobres do Brasil, tiveram mais sucesso escolar no ensino médio que a média do País, Segundo dados do Mi­nistério do Desenvolvimento Social, as taxas de aprovação (principal índíce que mede o desempenho educacional) desse grupo são maiores des­de 2008 quando comparadas  com o geral. A evasão tam­bém é menor.

Tradicionalmente, a realida­de socioeconômicaé crucial pa­ra os resultados escolares. Mas, como a contrapartida do progra­ma do governo federal é que as famílias mantenham os filhos na escola, há um impacto ime­diato nas taxas de abandono.

Em 2011, enquanto a média de abandono no País era de 10,8%, essa taxa entre os alunos do Bol­sa Família ficou em 7,2%.

Uma diferença de um terço

Além de não abandonarem a escola, esses alunos estão sen­do menos reprovados, Â taxa de aprovação em 2011 no ensino médio era de 75,2% no geral Pa­ra alunos de Bolsa Família, esse resultado foi de 79,9%.

Para a ministra do Desenvol­vimento Social (MDS), Tereza Campeio, os resultados são  uma surpresa. “Isso não é só es­tatística, é uma realidade que transforma a sociedade, Esse aluno não vai repetir a trajetória dos pais", disse a ministra,que participou no 14o Fórum  Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, na Bahia.

Esse comportamento não existia no primeiro ano do Bol­sa Família, em 2003, quando no o se exigia comprovação de. frequência  apenas a matrícula. O programa exige que estu­dantes entre 6 e 15 anos tenham passado pelo menos" 85% do ano letivo na escola e, de 16 e 17 anos, ao menos 75%. Segundo o governo federal, mais de 96%  das crianças e jovens participan­tes do Bolsa Família superaram o índice mínimo de frequência escolar. “Como precisa de fre­quência maior, o aluno tem ex­posição maior na escola”, expli­cou Tereza.

“É um dado positivo que sur­preende. Se conseguirmos atre­lar mais políticas de desenvolvi­mento social, saúde e educação em esforços conjuntos, será um grande avanço”, diz a diretora executiva da ONG Todos Pela Educacão, Priscila Cruz.

O ensino médio é apontado como um dos maiores desafios da educação básica. Embora cer­ca de 80% dos jovens de 15 e 17 anos estejam na escola, só 52,25% estão no ensino médio, a tapa adequada. Outros 25,5% inda estão no ensino funda­mental, segundo o Anuário Bra­sileiro da Educação Básica do Todos Pela Educação, que vai ser lançado no dia 22 no Con­gresso Nacional Fundamental. Alunos reprova­dos têm chance muito maior de  abandonar a escola. .No funda­mental, a evasão tem índices menores que os registrados no médio, mas ainda assim são preocupantes.

Entre 2008 e 2011,a taxa de evasão no País passou de 48% para 3,2% no fundamental, se-. ’ gundo dados do ministério. O resultado dos alunos do Bolsa Família também são menores a cada ano: foram de 3,6% para 2,9% no mesmo período.

Na aprovação, no entanto, os resultados dos beneficiados pe­lo programa de transferência  de renda ainda não são iguais aos do ensino médio;Enquanto " essa taxa era de 86,3% na média geral em 2011, para os alunos das famílias beneficiadas o índi­ce é de 83,9%. Apesar da diferença, Tereza Campeio diz que o resultado mostra evolução. "Ele significa que a gente não tem diferença entre pobres e o geral” A minis­tra também destaca que no ensi­no fundamental. das Regiões Norte e Nordeste tanto as taxas de abandono quanto as de apro­vação são melhores entre alu­nos do Bolsa Família do que a média.

Fonte: O Estado de S. Paulo – 17/05/2013

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados