logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 13 estados.

Em vitória de Temer, Câmara aprova em 1º turno congelamento de gastos

Home / Informativos / Leis e Notícias /

11 de outubro, 2016 por Luiz Antonio

Fidelidade a Temer chegou a 92% dos governistas presentes

No primeiro grande teste de sua base parlamentar, o presidente Michel Temer (PMDB) teve o apoio de 86,9% de seus aliados. Dos 412 deputados de partidos que apoiam Temer, 386 registraram presença na votação que aprovou, em primeiro turno, a proposta de emenda constitucional (PEC 241/16) que limita o teto dos gastos públicos por 20 anos. Entre eles, 358 (92,7% dos presentes) votaram a favor da PEC. Com as dissidências em bancadas não governistas, o texto passou com 366 votos favoráveis, 111 contrários e 2 abstenções. A presença de parlamentares do PT e do Psol não contou ao final porque essas legendas se declararam em obstrução.

Apenas 27 parlamentares governistas se abstiveram ou votaram contra a proposta considerada prioritária pelo Palácio do Planalto para tentar reequilibrar as contas públicas. Outros 26 faltaram à sessão. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não votou por restrição regimental. Os partidos que mais renderam votos para o governo foram o PMDB, de Temer, com o apoio de todos os 64 deputados presentes, e o PSDB, com 47.

Entre os principais aliados, o PSB foi o menos “fiel” ao governo nessa segunda-feira, com dez votos contrários. Outros 22 integrantes da legenda do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, apoiaram a medida. Fernando Coelho voltou à Câmara apenas para votar e deve reassumir nesta terça o ministério.

Embora não tenham fechado questão, o PR e o PSD ameaçaram punir deputados que não votassem com o governo. Estão sob risco por esse motivo Expedito Netto (PSD-RO), Clarissa Garotinho (PR-RJ) e Zenaide Maia (PR-RN) votaram contra a PEC; o deputado Silas Freire (PR-PI) se absteve.

O PPS, que comanda o Ministério da Defesa, com Raul Jungmann, se dividiu na votação: quatro votaram a favor da proposta, três foram contra, e um se absteve. Dois deputados do PP se manifestaram contra o teto dos gastos e cinco se abstiveram. Também houve divergência na oposição: seis dos 19 pedetistas apoiaram a mudança na Constituição proposta pelo Executivo.

Conheça o voto de cada deputado.

Fonte: Congresso em foco

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

App - Wagner Advogados