logo wagner advogados
Há mais de 30 anos defendendo exclusivamente os trabalhadores | OAB/RS 1419
Presente em 13 estados.

Contra PEC 32, educadores das 3 esferas ressaltam luta em defesa do serviço público

Home / Informativos / Leis e Notícias /

27 de outubro, 2022

Documento assinado por entidades que representam o servidores aborda a questão dos ataques que a categoria vem sofrendo ao longo dos últimos anos, como salário congelado há cinco anos

Depois da ameaça do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), de colocar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 32 para a votação, representantes de entidades que representam os trabalhadores no serviço público ressaltaram a luta em defesa dos serviços públicos e sua importância para a reconstrução e transformação do Brasil em um país melhor.

“Por um Estado democrático e soberano, Liberdade de organização e Sustentabilidade das entidades sindicais e por condições dignas para servidores e toda população” são algumas da justificativas das entidades filiadas à CUT, que assinaram e divulgaram o manifesto “28 DE OUTUBRO – DIA DO SERVIDOR PÚBLICO”.

Assinam o documento a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Confederação e a Federação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef/Fenadsef ), Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS), Proifes Federação, Federação Nacional dos Servidores e Empregados Públicos Estaduais e do Distrito Federal (Fenasepe) e a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam).

“Plano de Guedes prevê salário-mínimo e aposentadoria sem correção pela inflação passada Proposta seria apresentada após o 2º turno em caso de vitória de Bolsonaro. O que nós temos a ver com isso? Menos salário-mínimo, menos aposentadoria, menos consumo popular, retrocesso econômico e social prejudicando os serviços públicos”, diz trecho do texto.

O documento aborda a questão dos ataques que a categoria vem sofrendo ao longo dos últimos anos, como salário congelado há cinco anos, o corte de verbas do SUS, educação, cultura, meio ambiente e da merenda escolar. As entidades também denunciaram o plano que Paulo Guedes, ministro da Economia de Jair Bolsonaro, está preparando para a população e servidores/as públicas em geral e alerta sobre o possível aumento da corrupção com a PEC 32.

“O bolsonarista Paulo Guedes ameaçou colocar a granada no bolso dos servidores e o bolsonarista Roberto Jefferson passou às vias de fato, jogando uma granada real que feriu servidores federais da Polícia Federal. Repudiamos essa barbárie”, diz trecho final do manifesto de entidades CUTistas que reafirmam que “continuarão lutando pelo fortalecimento do serviço público para reconstruir e transformar o Brasil”. [leia o manifesto na íntegra abaixo]

Resistência e mobilização
Atos em defesa dos serviços e servidores públicos estão sendo marcados em todo o país. A orientação é que as manifestações contra a PEC 32 vão acontecer nos dias 27 e 28, de acordo com cada estado. Isto porque dia 28 é dia do Servidor Público, mas há vários locais que estão adiando a data, e por isso fica a decisão a ser tomada pelas lideranças locais.

“Mesmo não tendo o que comemorar, nós não vamos deixar esse dia passar despercebido e por isso a gente está organizando uma grande jornada em defesa dos serviços públicos e servidores. A denúncia que faremos nas ruas é para garantir a continuidade do serviços e servidores públicos no nosso país”, explicou o secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), Sérgio Ronaldo da Silva.

Para o presidente da CNTE, Heleno Araújo, é preciso manter este alerta sobre a possibilidade de ser colocada na pauta de votação a PEC 32, que trata da Reforma Administrativa para a atuação coletiva contra mais um medida desastrosa do governo Bolsonaro. “As entidades nacionais das três esferas dos serviços públicos sabem dos verdadeiros riscos desta PEC e estão convocando esta mobilização nacional para falar e mostrar a nossa importância para a população brasileira”, destacou Heleno, que também é professor do ensino público.

Fonte: CNTE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.